Visitem-nos também em: Só-Newz.blogspot.pt [Actualização Diária]

22/05/10

Crón!ca da Semana #6

Compramos a nossa primeira casa, fazemos uma festa, oferecemos brindes a quem nada tem a dizer e no fim tornamos-nos uma prolepse encontrada numa elipse temporal.
Decoramos-la, aconchegamos-nos no sofá da sala, nos novos tapetes, no novo televisor, nos novos lençóis e quando damos por nós, estamos sozinhos. Sozinhos numa solidão cheia de gente, sozinhos como ir a um café e ver tanta gente nas mesas, mas na nossa, só nos pedem as cadeiras emprestadas, pois a nossa feição diz ao mundo que a solidão é o nosso destino.
Talvez a tua partida tenha solicitado isto, a tua partida do meu dia-a-dia contemporâneo e tão habitual. Talvez as nossas cartas tenham ficado à chuva e tu agora não as consegues ler, ou então, perdemos-nos neste silêncio tão vasto. Tão vasto e inquieto como um sorriso embaraçado no tempo.
Tenho saudades tuas! Talvez seja vulgar ouvires esta expressão, mas não ouves o silêncio que vem atrás dela? Não escutas estes suspiros da profundidade do não saber onde ir. Estou perdida, como um animal que é só aquilo que aparenta, sem selva, sem casa, sem visitas ou pedidos de cadeiras.
E o mais estranho, é que nós não deixamos-nos de nos encontrar, foi o tempo, o tempo é que deixou de vir ter connosco. Tenho saudades dos teus timbres de voz, da tua voz aguda, da tua voz grave; Saudades dos teus medos , das tuas felicidades, dos nossos segredos, dos nossos vazios tão cheios . Tenho saudades de quando andávamos descalças pela areia, arregaçávamos as calças e andávamos pelo mar; saudades desses sonhos inquietos da alma; saudades de um amor, vazio, da tua calma; saudade das correrias pelos corredores; das mãos longas que se traçavam.
Tenho saudades de quando rasgávamos o joelho, sabia que te punhas na minha pele, ou fazias uma igual na tua. Sempre foi esta harmonia que nos ligou, mas talvez hoje tenhamos perdido o tempo, ou ele deixou que nos perdêssemos nele...Talvez hoje, tenhamos de mudar ... de casa...
Alice Castro «A nossa primeira... Saudade»

0 comentários:

Enviar um comentário